terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Esperto em chope


A Iris reclama quando eu reclamo de algum garçom ou serviço dos bares que freqüentamos. O que ela ignora, porém, é que estou ficando um esperto em cerveja. Ontem, no Glória, senti o chope aguado. A princípio, poderia ser fruto do dissabor da minha garganta, vitimida por início de gripe, dengue ou sei lá o quê (amanhã a médica deve diagnosticar). Chamei a Su, uma das garçonetes, e apresentei a minha queixa. Óbvio que ela a refutou, mas, cordialmente, disse que falaria com o gerente. Muito tempo sem resposta e fui embora sem saber o motivo. Não estava disposto a criar caso. Na presença da Iris, tenho evitado questionar com alteração qualquer serviço prestado. Beber me dá fome. Saio de lá e paro na pastelaria ao lado para deliciar um pastel de palmito. De repente, chega a Su. Não perdi a oportunidade e quis saber se havia resposta. Tarde, mas havia. "É, realmente. O gerente disse que estava daquele jeito porque era do fundo do barril". Então, tá. Mas que eu tinha razão, tinha.

Um comentário:

Iris disse...

Na verdade eu reclamo quando você fica nervoso por causa deste mal atendimento que assola Goiânia. Este tipo de coisa não deve nunca estragar nossa noite.