sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Endereço do Seu Lalá


Alguém, no anonimato, perguntou no tópico Seu Lalá o endereço do bar em homenagem ao grande compositor Lamartine Babo (1904-1963). A casa, no estilo carioca, fica na Rua 35 com a 13, no Setor Marista, bem pertinho do Bougainville.

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

Entre tapas e beijos


Logo, logo, os senadores Lúcia Vânia (PSDB) e Marconi Perillo (PSDB) desfilarão de bons amigos. Demóstenes Torres (DEM) teve muito mais motivos para não querer ver o colega nem pintado de diamante e hoje tem relação harmoniosa com o tucano-mor de Goiás.

Percentual desigual


O salário mínimo vai subir 8,5% e passar a valer R$ 412. O valor da passagem em Goiânia aumentará mais de 10%. De R$ 1,80, deve pular para R$ 2 ou R$ 2,2.

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Às mulheres


Você, mulher, que música gostaria de ouvir no Dia da Mulher?
Você, homem, que música ofereceria a uma mulher no dia 8?
P. S.: Sua resposta vai me ajudar a produzir o Programa Legal - edição especial Mulher, a ser veiculado no dia 8 de março, na Rádio Alternativa. A emissora é comunitária e é transmitido em Itapuranga.

Copyleft


Morro de medo de essas imagens que ilustram meu blog sem autorização ainda me trazerem problemas. Mas como quase ninguém o acessa mesmo, vou cultuando o copyleft... E viva o Google!

Miss Roupa de Feira


Hoje acompanhei a apresentação das 16 candidatas ao Miss Goiás. A garota de Goiânia tem até o espírito de miss, apesar de não ter conversado com nenhuma delas. Não sou especialista no assunto, mas percebo que roupa, infelizmente, faz uma diferença enorme. Assim, a menos que sejam perfeitas, as interioranas ou de classes inferiores largam para trás.


Miss Goiás 2008
Nos dias 28 e 29 de fevereiro, será realizado o CONCURSO MISS GOIÁS 2008, em Goiânia, na casa de show Atlanta Music Hall, às 21 h, com a presença de Natália Guimarães, atual Miss Brasil e eleita, também, vice Miss Universo.
O Concurso Oficial Miss Goiás, sob a coordenação profissional de Fátima Abranches vem, nos últimos anos, se firmando cada vez mais no cenário regional como um evento de grande estilo. Ele atrai grande público, tem cobertura da mídia e recebe o apoio do governo do estado.
O objetivo do Concurso é eleger a melhor candidata ao título de Miss Goiás para representar o estado no Concurso Miss Brasil.
Como profissional designada pela empresa Gaeta Promoções e Eventos, empresa responsável e dona oficial da Marca Miss Brasil, Fátima Abranches envia a candidata vencedora no estado ao Concurso Miss Brasil, transmitido ao vivo pela Rede Bandeirantes de Televisão. O evento tem revista própria, de circulação nacional, para divulgar a repercussão do concurso. Nela, as candidatas são entrevistadas e falam dos seus estados.
A versão 2007 do Concurso aconteceu no dia 13 de Setembro de 2006, na Casa de Eventos Master Hall em Goiânia, com a presença de 400 convidados, entre eles a Miss Brasil 2006, Rafaela Zanella, o Diretor Executivo do Miss Brasil e sua Diretora Administrativa, Nayla Micherif, também Miss Brasil eleita em 1997. Entre 15 candidatas ao título a representante da cidade de Goiânia, Liandra Schmidt, foi eleita através de um seleto corpo de jurados.
Este ano, comemorando cinco anos à frente da organização do evento, Fátima Abranches traz o Concurso Miss Goiás, versão 2008, para a casa de eventos Atlanta Music Hall em Goiânia e promete encantar a todos com um evento cheio de glamour e charme. Além da presença das mais belas goianas na passarela, o evento terá como atração a presença da atual Miss Brasil, Natália Guimarães, um desfile da grife Vide Bula, o cantor goiano Fernando Perillo e após o evento o show da dupla sertaneja goiana Elvis e Ricardo.
Serviço
Dia do Evento: 29 de fevereiro
Horário: 21:00 H
Informações: Tel. 8115 5688, 3541 5025.
Ingressos à venda através do número 8464 0425, 9265 7801, e do Atlanta: 3257 7000
Mesa: 200,00
Camarote: 80,00
Pista: 20,00 mulher e 30,00 homem
Assessoria de imprensa:
PALAVRA ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO

Sentido contrário


Quando criei o blog, pensei que ia escrever somente - ou basicamente - ficção. Engano! Porcas 'análises da notícia' gastam menos tempo. Não é preguiça. É falta dele mesmo.

Vitória


Câmara dos Deputados decide que sede da TV Pública será em Brasília
Por Ana Luiza Moulatlet/Redação Portal IMPRENSA

Uma votação simbólica no plenário da Câmara dos Deputados decidiu nesta terça-feira, 26, que a sede da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) será em Brasília.
Os deputados chegaram a um acordo na votação referente ao destaque apresentado à Medida Provisória 398/07, que cria a chamada TV Pública. Foi aprovado que a EBC terá sede e foro em Brasília, embora o Rio de Janeiro continue sendo o principal centro de produção da nova empresa. Pelo texto original da medida provisória, a EBC teria sede no Rio e escritório central em Brasília.
Tereza Cruvinel, presidente da TV Brasil, afirmou que "o importante foi tomar uma decisão em consenso. Eu tentei mostrar às bancadas que o local da sede não faria diferença. Não seria razoável transferir a TVE para Brasília, pois há toda uma estrutura no Rio de Janeiro. Da mesma forma, não faz sentido transferir a Radiobrás, com todos os equipamentos, de Brasília para o Rio de Janeiro".
De acordo com a Agência Brasil, a expectativa é que todos os destaques da medida provisório sejam votados ainda nesta terça.

Sinceramente? Retrocesso!


João Campos é o presidente da Frente Evangélica
Diógenes Santos

O deputado João Campos (PSDB-GO) foi eleito há pouco presidente da Frente Parlamentar Evangélica. O grupo é composto por 42 deputado e dois senadores.

Programação da Rádio É


08:00 às 12:00 - MPB


12:00 às 14:00 - MPB E JAZZ


14:00 às 18:00 - MÚSICA INTERNACIONAL (ROCK, BLUES, BALADAS, ETC...)


18:00 Às 20:00 - MPB E JAZZ


20:00 à 00:00 - SENTIMENTOS E CANÇÕES (BLUES, JAZZ, BALADAS E POESIA)


00:00 às 08:00 - MÚSICA INTERNACIONAL

Música, música, música


Feliz por saber que o primeiro show do Flamboyant in Concert este ano será com MPB4. Uau! Uau! Uau!

Políticas Públicas de Cultura



Produtores culturais se reúnem para o Fórum de Produção Cultural, em Goiânia


Entre os dias 28 de fevereiro e 02 de março, o Palácio da Indústria, no centro de Goiânia, sediará um evento inédito em nossa capital: o Fórum de Produção Cultural.

Trata-se de um privilegiado encontro em nossa região, tanto por ser organizado por artistas e produtores que trabalham profissionalmente em nossa capital, quanto por destacar governantes e personalidades de instituições e empresas como SEBRAE, SESC nacional e regional, FECOMERCIO, Grupo Kavantan & Associados (SP), CAIXA (DF), Brasil Telecom (DF), Belcar Caminhões (GO).

O Fórum se realiza sob a organização da Arte Brasil Projetos Sócio-Culturais, e tem como principal meta fornecer suporte e conteúdo de qualidade para o trabalho de produtores culturais de Goiânia. O evento é mais um projeto incentivado pela Lei Municipal de Cultura, com o patrocínio da Brasil Telecom. O Fórum conta também com o apoio cultural do SEBRAE GO, e o apoio da CAIXA, FIEG, Belcar Caminhões e Uni-Anhanguera.

Durante quatro dias de encontros, plenárias, palestras, cursos e painéis, os participantes terão a oportunidade de conversar e debater sobre a realidade da produção cultural em nosso país, estabelecendo parâmetros de atuação que garantam o profissionalismo neste mercado, e, principalmente, melhores condições de trabalho para aqueles que atuam nessa área, pesquisando melhores caminhos para a criação e realização de projetos, via leis de incentivo ou não.

Para tanto os espectadores contarão, na Abertura, com importantes líderes empresariais, tais como, José Evaristo dos Santos, presidente do FECOMERCIO (SESC/GO e SENAC/GO), Paulo Afonso Ferreira, presidente da FIEG, João Bosco Umbelino, Superintendente do SEBRAE, Pedro Daniel Bittar, Presidente da ACIEG, que em conjunto com os representantes culturais, Secretário Municipal de Cultura, Presidenta da AGEPEL e Representantes do Minc e Funarte pronunciarão sobres políticas de cultura.

Em outro momento estarão em foco representantes dos governos municipal e estadual, para a discussão sobre o papel do Estado no incentivo à produção cultural no Brasil, e, voltando o olhar para a iniciativa privada, o público poderá conversar com representantes de empresas conhecidas por serem importantes patrocinadoras de eventos culturais em nosso país, falando sobre o perfil de investimento de cada uma delas. Estarão no Fórum de Produção Cultural a gerente de patrocínio da Brasil Telecom, Natalice Mundim, e Maristela Azevedo Mello, Especialista da Gerência de Promoção, Cultura e Esporte da CAIXA, com sede em Brasília. Da nossa cidade a diretora da Belcar Caminhões, Rosana Gedda, uma das empresas mais premiadas em responsabilidade social do Estado.

Sidnei Cruz, criador e coordenador do Projeto Palco Giratório, um dos melhores projetos culturais de circulação de espetáculos no Brasil, realizado pelo SESC nacional em conjunto com os SESC’s Regionais, vem falar da experiência e sucesso do projeto desde a sua implementação.



Os cursos de elaboração e administração financeira de projetos culturais, e de estratégias para captação de recursos, serão ministrados pela gabaritada Sônia Kavantan, produtora cultural e socióloga, com mais de 21 anos de experiência nas áreas educacional e cultural. Proprietária da produtora Kavantan & Associados – Projetos e Eventos Culturais Ltda., que atua no mercado desde 1987, na elaboração de projetos que atendam às necessidades de comunicação empresarial, e as demandas de artistas e criadores brasileiros.

Segundo Marcelo Carneiro, da Arte Brasil Projetos Sócio-culturais: “o produtor cultural de Goiás ainda sofre muito com a falta de informação e de aprimoramento para captação de recursos. O que cria uma situação em que faz parecer que nossa região não apresenta demanda, já que, nos editais de grandes empresas, são poucos os projetos apresentados por profissionais de Goiás”. Marcelo, que também é produtor, ainda diz: “um dos intuitos deste Fórum é incluir novos artistas e produtores no processo de democratização da verba pública, principalmente, das leis e editais de incentivo à cultura.” E complementa: “No setor específico dos agentes, produtores e gestores culturais, a formação autodidata sempre predominou, e, na maioria das vezes, a elaboração de um projeto, uma proposta, ocorre sem sistematização e sem metodologia.”.

Ao final do Fórum de Produção Cultural, mas ainda dentro do evento, os produtores e artistas de Goiânia poderão participar também do Encontro Goiano de Produtores Culturais, que acontecerá no Teatro do Centro Municipal de Cultura Goiânia Ouro.

Marcelo Carneiro finaliza, com grande expectativa: “Ao que tudo indica, este será um importante momento para os artistas, profissionais da produção cultural e para os profissionais de marketing e comunicação das empresas e demais interessados. Um fôlego para mergulharmos fundo em nosso trabalho a partir de 2008.”.


Serviço:
Evento: Fórum de Produção Cultural
Data: de 28 de fevereiro a 02 de março – de quinta à domingo
Local: Auditório Gilson Alves (Palácio da Indústria)
End.: Av. Anhanguera, nº 5440 – Centro – Goiânia/GO

Inscrições:
pelo site:
www.artebrasileventos.com.br
Arte Brasil Projetos Sócio-culturais
Fone: (62) 3215 - 2392


Valores:
Passaporte para acesso às palestras, debates e painéis:
- taxa de inscrição (única): R$ 20,00 (Vinte Reais)
Cursos com Sônia Kavantan:
- R$ 60,00 (Sessenta Reais) para os três temas.

Assessoria de imprensa:
Ana Paula Mota
(62) 8168 – 7660
anapaulamota@gmail.com

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

Cuidado com os Andes


Acontece no próximo dia 1° de março (sábado) a 13ª Covendas. O evento destaca-se no meio empresarial por motivar e treinar vendedores das mais diversas áreas e segmentos da sociedade. Este ano serão quatro apresentações, dentre os palestrantes estão os uruguaios que sobreviveram à queda do avião na Cordilheira dos Andes, Álvaro Mangino e José Inciarte.


Acabo de ler - isso mesmo: ler! - na CBN (no site, claro):



Encontrado avião que estava desaparecido nos Andes. Não há sobreviventes


Grupos de resgate encontraram os destroços do avião que havia desaparecido nos Andes venezuelanos com 46 pessoas a bordo. A aeronave, da companhia Bárbara Airlines, bateu em uma montanha a 5 mil metros de altura. O avião decolou na quinta-feira do aeroporto da cidade de Mérida com destino a Caracas. Não há sobreviventes.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Desisto


Confesso que não sei mais o que fazer para manter amizades. A princípio, arriscaria dizer que amizade verdadeira não precisa de esforço para durar. Mas que eu sinto falta de algumas pessoas fundamentais (referência principalmente à Forte Ka. e à Paulinha) que se distanciaram sem justifiticativa, sinto.
Aviso aos amigos que pretendem se afastar de mim: não quero impedí-los de fazê-lo, no entanto, façam-no de forma programada; me avisem com antecedência razoável e me encham de motivos. Grato.
...
Segue o Seco
Composição: Carlinhos Brown / Marisa Monte
A boiada seca
Na enxurrada seca
A trovoada seca
Na enxada seca
Segue o seco sem sacar que o caminho é seco
Sem sacar que o espinho é seco
Sem sacar que seco é o Ser Sol
Sem sacar que algum espinho seco secará
E a água que sacar será um tiro seco
E secará o seu destino secará
Ô chuva, vem me dizer
Se posso ir lá em cima pra derramar você
Ô chuva, preste atenção
Se o povo lá de cima vive na solidão
Se acabar não acostumando
Se acabar parado calado
Se acabar baixinho chorando
Se acabar meio abandonado
Pode ser lágrimas de São Pedro
Ou talvez um grande amor chorando
Pode ser o desabotoado céu
Pode ser coco derramando

É cada coisa


Patrimônio cultural - Projeto de lei do deputado estadual Flávio Bolsonaro (PP) propõe que a caveira, símbolo do Bope, e o uniforme do batalhão se tornem patrimônios culturais do Rio. Segundo a Folha de S. Paulo, o cineasta José Padilha, diretor de Tropa de Elite, recebeu com risos a notícia e repudia o projeto.

Uma família de políticos - No site de Flávio, você encontra links para as páginas na internet do vereador Carlos Bolsonaro e do deputado federal Jair Bolsonaro. Carlos, diz seu site, foi o vereador mais novo do Brasil. Eleito aos 17 anos, agora, aos 24, está no segundo mandato na Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro. Flávio e Carlos são filhos de Jair. Carreiristas.

Sindicalismo


E por falar em sindicato... Que vergonha! Os jornalistas de Goiânia, classe mais desunida, têm escritório ordinário, que nem sei se é próprio. Todo segmentozinho tem sede campestre, clube, convênios, e por aí vai.

Grata notícia


Encontro Malu Longo (a quem sempre gosto de encontrar) casualmente no Mercado Popular da Rua 74 durante a apresentação do Fausto Noleto (ele encerrou o show com Wave; bravo!). Que felicidade! Ela me conta que a diretoria do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de Goiás, da qual faz parte, decidiu fazer ali, no Mercado Popular, a comemoração do dia do jornalista, no início de abril. Ueba!

Letras de músicas mais buscadas no terra.com.br


quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Jornalistas repudiam intimidação da Universal


A Federação Nacional dos Jornalistas, o Sindicato dos Jornalistas do Município do Rio de Janeiro, o Sindicato dos Jornalistas da Bahia e demais Sindicatos do país filiados à FENAJ repudiam, com veemência, a atitude da direção da Igreja Universal do Reino de Deus, que desencadeia campanha de intimidação contra jornalistas no exercício da profissão.Também apelam aos Tribunais e ao Superior Tribunal de Justiça no sentido de alertá-los para ações que se multiplicam a fim de inibir o trabalho de jornalistas em todo o país. O acesso e a divulgação da informação garantem o sistema democrático, são direitos do cidadão, e o cerceamento de ambos constitui violação dos direitos humanos. A TV Record, controlada pela Universal, chegou ao extremo, inadmissível, de estampar no domingo, em cadeia nacional, a foto da jornalista Elvira Lobato, autora de uma matéria sobre a evolução patrimonial da Igreja, publicada na Folha de S.Paulo. Por esse motivo, Elvira responde a dezenas de ações propostas por fiéis e bispos em vários estados brasileiros.Trata-se de uma clara incitação à intolerância e do uso de um meio de comunicação social de modo frontalmente contrário aos princípios democráticos, ao debate civilizado e construtivo entre posições divergentes.O fato de expor a imagem da profissional em rede nacional de televisão, apontando-a como vilã no relacionamento com os fiéis, transfere para a Igreja a responsabilidade pela garantia da integridade moral e física da jornalista.A Federação Nacional dos Jornalistas, o Sindicato dos Jornalistas do Município do Rio de Janeiro, o Sindicato dos Jornalistas da Bahia e demais Sindicatos exigem que os responsáveis pela Igreja Universal intervenham para impedir qualquer tipo de manifestação de intolerância contra a jornalista.O episódio nos remete à perseguição religiosa, absurda e violenta, praticada por extremistas contra o escritor Salman Rushdie, autor de Versos Satânicos, e as charges de Maomé publicadas no jornal dinamarquês Jyllands-Posten.O jornalista Bruno Thys do jornal carioca Extra também é processado pela Universal em cinco cidades do Estado do Rio de Janeiro. O repórter Valmar Hupsel Filho, na capital baiana, já responde a pelo menos 36 ações ajuizadas em vários estados do Brasil, nenhuma delas em Salvador, sede do jornal A Tarde, onde trabalha.Há evidência de que essas ações, com termos idênticos, estão sendo elaboradas de forma centralizada, distribuídas e depois impetradas em locais distantes, para dificultar e prejudicar a defesa, além de aumentar o custo com as viagens dos jornalistas ou seus representantes.Encaminhados à Justiça com o nítido objetivo de intimidar jornalistas, em particular, e a imprensa, em geral, esses processos intranqüilizam e desestabilizam emocionalmente a vida dos profissionais e de seus familiares. Ao mesmo tempo, atentam claramente contra os princípios básicos da liberdade de expressão e manifestação do pensamento.Em um ambiente democrático e laico, é preciso compreender e aceitar posições antagônicas e, mais ainda, absorver as críticas contundentes, sem estimular reações de revanche ou mesmo de pura perseguição.Este episódio repete, com suas consideráveis diferenças, outras situações em que os meios de comunicação exorbitaram os fins para os quais foram criados. A Federação Nacional dos Jornalistas, o Sindicato dos Jornalistas do Município do Rio de Janeiro, o Sindicato dos Jornalistas da Bahia e demais Sindicatos sustentam que a imprensa não pode se confundir com partidos políticos, crenças religiosas ou visões particulares de mundo.


Brasília, 20 de fevereiro de 2008.

Diretoria da Federação Nacional dos Jornalistas

Diretoria do Sindicato dos Jornalistas do Município do Rio de Janeiro

Diretoria do Sindicato dos Jornalistas da Bahia

As boas desta noite



Jazz - Fausto Noleto e o seu quarteto se apresentam toda quarta-feira no Mercado Popular da Rua 74. A partir das 20 horas. O apoio é do Bar do Elpídio.


Samba - Cartola, Noel Rosa, Geraldo Pereira, Assis Valente, Paulinho da Viola, Chico Buarque e João Bosco ganham homenagem hoje no Bolshoi Pub. Estamos falando do grupo De Volta ao Samba. A partir das 21 horas. Maravilhoso!


Padres brasileiros pedirão ao Vaticano o fim do celibato


O documento final do 12º Encontro Nacional de Presbíteros, encerrado nessa terça-feira (19) no Mosteiro de Itaici, município de Indaiatuba (SP), propõe ao Vaticano a busca de alternativas para o celibato sacerdotal - o que significaria a ordenação de homens casados e a readmissão de padres que deixaram suas funções para se casar. Aprovado por 430 delegados que representavam os 18.685 padres das 269 dioceses brasileiras, onde trabalham em 9.222 paróquias, o pedido será enviado à Sagrada Congregação para o Clero, em Roma, atualmente presidida pelo cardeal dom Cláudio Hummes, ex-arcebispo de São Paulo.
Os padres pedirão também à Santa Sé “orientações mais seguras e definidas sobre o acompanhamento pastoral de casais de segunda união”, os católicos que se divorciaram e tornaram a se casar. Unidos pelo casamento civil, esses fiéis podem participar da vida da Igreja, mas não podem se confessar nem comungar.
As duas reivindicações contrariam normas em vigor na Igreja que, conforme dom Cláudio afirmou no plenário do Encontro de Itaici, a Igreja não tem a intenção de alterar. Os padres não sugerem a abolição total do celibato, que continuaria sendo uma opção, por exemplo, nas ordens e congregações religiosas, mas que haja outras “formas de ministério ordenado”.
Outra reivindicação ousada do documento aprovado pelo Encontro de Presbíteros refere-se à nomeação de bispos. Proposta a ser encaminhada à Congregação para os Bispos pedirá uma revisão das nomeações “dentro de um espírito mais transparente, democrático e participativo junto dos presbitérios, dioceses e regionais da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil)".


Fonte: Agência Estado

Câmara aprova medida provisória que cria a TV Pública


Não me agrada a idéia de a sede da TV Brasil ser no Rio de Janeiro. Por mais que eu ame a Cidade Maravilhosa, passa da hora de mostrar ao país que é possível fazer televisão de qualidade fora do eixo. Para mim, Brasília é a melhor cidade para sediar o novo veículo de comunicação.


A Câmara aprovou nesta terça-feira, por 336 votos favoráveis, 103 contrários e três abstenções, a medida provisória que cria a EBC (Empresa Brasileira de Comunicação), gestora da TV pública - nova emissora criada pelo governo federal que será chamada de TV Brasil.

A que ponto chegamos




Moradores de Aparecida usam pinguela improvisada na Rua P, que dá acesso ao Córrego Santo Antônio, onde três irmãos morreram em aterro que caiu. Quatro pessoas foram presas por cobrar pela travessia. (O Popular, 20/2/8)

Goiânia fica fora da nova turnê de Ney Matogrosso


Aos fãs goianos, resta Brasília, no dia 26 de abril, como consolo.


15 de março - Rio Claro - SP

28, 29 e 30 de março; 3, 4 e 5 de abril - Citibank Hall em São Paulo - SP

7 e 8 de abril - Teatro CiC em Florianópolis - SC

10, 11 e 12 de abril - Teatro Bourbon Country em Porto Alegre - RS

15 de abril - Teatro Guarany em Pelotas - RS

17 e 18 de abril - Teatro Guaira em Curitiba - PR

26 de abril - Brasilia - DF

9 e 10 de maio - Teatro Castro Alves em Salvador - BA

terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Mais PT esclarece posição



Prezados senhores/as,

Venho através deste esclarecer a posição do MAIS, Movimento de Ação e Identidade Socialista, no debate interno do Partido dos Trabalhadores de Goiânia. Durante o PED, processo de eleições diretas do PT, o nosso movimento lançou a chapa Continuo a OPtar, chapa esta que defendeu em toda sua campanha que o PT em Goiania deveria lançar candidatura própria nas eleições de 2008.Convencidos de que esta é a melhor alternativa do partido para tatica eleitoral deste ano, é que participamos do ato em defesa da candidatura própria no dia 14 de fevereiro.Independente desta opinião o nosso movimento surgiu baseado nos principios democraticos de resgatar os fóruns de debates internos do PT. Fóruns que foram esvaziados pela truculencia de mandatos e de tendencias que sempre se acharam donas do partido.Sendo assim, defendemos que a decisão da tatica eleitoral do PT para as eleições de 2008 deveria ser levada para a base do partido, para que a decisão não fosse tomada de forma autoritaria sem consultar os militantes e filiados. Inclusive para que a decisão a ser tomada sobre candidatura própria e quem será este candidato seja capilarizada por um profundo debate interno, para que todos e todas tenham o conhecimento e o convencimento desta definição.Dessa forma, ja no ato em defesa da candidatura própria, o MAIS lançou um documento defendendo o encontro municipal como o fórum mais acertado para definir a tatica eleitoral do PT, independente de quem defendia o encontro para se posicionar a outra composição que não seja o PT como cabeça de chapa na eleição majoritaria.Durante a reunião do diretorio metropolitano do PT, conversamos com todas as correntes propondo que o diretorio chamasse o encontro municipal de forma consensual, para que o partido saisse unificado e fortalecido desta reunião.Infelizmente não fomos compreendidos, e mais do que isso fomos pressionados a defender que a decisão fosse tomada ali.Seguindo os nossos principios e defesas assinamos o requerimento, sendo a unica forma de chamar o encontro municipal, por acreditar que este deveria ser o fórum de decisão, não para defender sair à vice de outro partido, mas para reafirmar a candidatura própria como alternativa escolhida por todo o partido, não só pela direção.Reafirmamos que defendemos a candidatura própria do PT, e mais do que isso achamos fundamental que este debate passe pelo maximo de filiados e filiadas de nosso partido, para que possamos convencer a todos e todas que esta é a tatica eleitoral acertada, e fundamentalmente, para que o Partido dos Trabalhadores vá para as ruas de forma unificada para disputar a hegemonia da sociedade goianiense em torno de um projeto democratico que só o PT sabe governar.Sendo assim não me sinto atingido pelos ataques mentirosos que estão sendo colocados em relação à minha pessoa e à UNE. Mesmo porque a minha defesa no diretorio metropolitano foi uma defesa de corrente interna do PT e não uma defesa da UNE, entidade que em nenhum momento debateu ou definiu posição em relação às eleições de Goiania.Estou com a consciencia limpa e tranquila de que a nossa posição foi acertada, e mais do que isso, nos sentimos comtemplados pelo chamamento do encontro na data que ja tinhamos proposto a todo o conjunto do Partido dos Trabalhadores de Goiania durante a reunião do diretorio, que é 9 de março .Viva as instancias democraticas do PT!!!Pela candidatura própria do Partido dos Trabalhadores!!!


Tales de Castro Cassiano


Vice-Presidente da UNE


Movimento Mudança


MAIS-PT




(011)94695390


(062)84622127

Roda entrevista Ernesto Roller


Logo mais, às 21 horas, o secretário de Segurança Pública, Ernesto Roller (PP), esclarece sobre as mudanças na Rotam, que passa a circular somente até às 19 horas, e outras ações da pasta no programa Roda de Entrevista, do canal 13 (TBC/Cultura). O índice de homocídios em Goiás é cada vez mais alarmante. Para Ernesto, não há um pacote de medidas pontuais que pode ser aplicado para tentar evitar as mortes que, neste início de ano, já bateram recordes. O programa foi gravado à tarde porque, no mesmo horário, o secretário participa da colação de grau da primeira turma de jornalismo da Universidade Católica de Goiás (UCG).

Troféu Mulher Imprensa




Há muitos jornalistas bons em Goiás. Mas muitos mesmo. Aqui, raramente são reconhecidos e remunerados como deveriam ser. E há muitos jornalistas bons que são goianos e tiveram oportunidades fora. Estes, certamente, estão ainda melhores.



Ainda no estado, na tevê, a minha repórter preferida é a Mônica Novaes, da Record. Considero-a a melhor no telejornalismo goiano. No impresso, eu gosto muito da Lucimeire Santos, ex-Tribuna do Planalto, que agora está fazendo comunicação comunitária no interior de Minas Gerais. Por não ter um portátil, acompanho pouco o radiojornalismo local. Não me sinto à vontade para opinar. Não temos ainda tradição em site. O Goiasnet e o Notícias de Goiás não servem de referência. Nas assessorias, não conseguiria apontar também o mais competente, porém, para a mesma quantidade de assessor bom, há assessor ruim. Infelizmente, muito assessor de imprensa trabalha em órgão público porque foi indicado por político. Em alguns casos, compromete o trabalho.



Bom, o texto não era para falar disso. E sim para divulgar que Cleisla Garcia, atualmente na Record de São Paulo, foi eleita em pesquisa da revista Imprensa como a melhor repórter da tevê brasileira. Bateu nomes como as globais Zileide Silva, Delis Ortiz, Monalisa Perrone e Neide Duarte (segundo, terceiro, quarto e quinto lugares) e Eleonora Paschoal, da Band.



Nas outras categorias, das que lembro,



votei na Sandra Annenberg como melhor âncora. Ela ganhou em primeiro lugar.



Votei na Roxane Ré, da CBN. Ganhou.



Votei na Lúcia Hippolito. Ganhou.



Votei na Mariza Tavares, também da CBN. Ganhou.



Você pode conferir a lista completa no Portal Imprensa.

Homenagem à Comissão de Formatura


Lilian: Boa noite.

Neto: Agora vamos discutir a relação.

Lilian: Aparar arestas.

Neto: Se bem que isso já ocorreu na aula da saudade, não?

Lilian: Temos de reconhecer que um trio tornou possível a concretização de um sonho. Foi pelo nosso esforço que chegamos até aqui...

Neto:...Mas foi pelo empenho da Lorrane, da Thaís e da Tetê que pudemos festejar este sonho, agora mais real do que nunca, com tanta pompa e merecimento.

Lilian: Já deve estar todo mundo cansado de ouvir estes discursos ora demorados, ora engraçados, ora enfadonhos...

Neto: A gente garante que não vai demorar. Afinal, nós também estamos loucos pra cairmos na pista de dança.

Lilian:
Lorranne, Thais, Ana Tereza...

Neto: Ou, como preferem, Pequena, Masi Thá e Tetê...

Lilian: Só uma palavra nos resta.

Neto: Obrigado.

Lilian: Não vamos pedir desculpas pelas vezes que desnecessariamente levantamos o tom da voz, tornando-nos assim, colegas desagradáveis e, em conseqüência, indesejáveis.

Neto: Comissão de Formatura, receba o nosso especial agradecimento pelo seu incansável e prestimoso trabalho.

Lilian: Seguramente, todos nós nos orgulhamos de ter este trio de superpoderosas conduzindo as negociações pra que tudo desse certo. E da melhor forma.

Neto: Sabemos que assumir o sonho de uma turma não é tarefa fácil.

Lilian: Idealizar e concretizar o que representa um grande marco em nossas vidas exige coragem, determinação, paciência e tempo.

Neto: Enfrentar diversidades, superar desentendimentos e, mesmo assim, chegar ao fim, olhar pra trás e perceber que tudo valeu a pena.

Lilian: A vocês somos gratos por se dedicarem à organização de um evento tão importante pra todos nós, o nosso casamento.

Neto: Querem ver como estas menininhas se descrevem?

Lilian: Buscamos no Orkut uma breve descrição das superpoderosas. Vejam como elas se dizem. No caso da Thais, copiamos um depoimento da
Cynthia, a nossa Miss Interior, já que, no perfil, ela só faz o chamamento à torcida organizada, que gritou, gritou e gritou na colação. Hoje, pra nossa sorte, todos devem estar roucos.

Neto: Lorrane por ela mesma
Estou de cabeça para baixo. Lolô, assim, você fica tonta antes de beber.
“Só sei que nada sei. Mais de uma coisa eu tenho certeza: ‘sou a Masi Pequena’, pequena de pequenininha, mas grande de espírito, vontade, independência e alegria de viver. Tudo na vida se consegue indo atrás. É assim que componho o meu ser, minha vida diária. Agora, sem bom humor a existência se torna sobrevivência. Sinceramente, prefiro viver. Ser feliz e fazer feliz. Amigos, família, desconhecidos... Se precisarem, estou lá. Masi, masi.

Lilian: Thais por ela mesma
Convocação
Minha colação de grau...
Minha torcida – e que torcida! – estará instalada do lado direito do Teatro Rio Vermelho. Vamos lá, galera, porque só terá torcida se vocês comparecerem.
Thaís pela Cynthia
Amiga?! Bem, quero te dizer que você é muito especial! Que a cada dia que passa a nossa amizade cresce mais e se solidifica porque temos DEUS nos nossos corações!! Cada uma dentro da sua religião, mas com muito amor pra servi-Lo!!! Nossas conversas, bagunças, compras, risadas sempre tem uma pitada de companheirismo!! Já havia comentado com a
Ligia, que até então, amizade dentro da facul seria impossível!!! Vocês têm me mostrado o contrário!! E hoje, pra nós nada é impecílio pra curtir... Mesmo que o carro bata, a gente vai pra Cachaçaria!! Mesmo que alguém beba, a gente dá boas risadas e diz "Espera!". TE AMO!!! Beijos

Neto: Tetê por Tetê
Louca. Taí uma palavra que se encaixa quando penso “Quem sou eu?”.
Sou louca pela minha família (principalmente pela mulher mais perseverante que conheço, minha linda MÃE!); sou louca pelos AMIGOS que fiz ao longo da minha vida; louca por todos os momentos que vivi, sejam eles de intensa felicidade ou desesperadora tristeza, já que com todos eles eu cresci um pouco mais. Sou louca por festas, diversão, conversas, gargalhadas (e a minha é de louca MESMO!!), conselhos, reuniões com minhas amigas (Gê, Lá, Patty e Patricinha) ou com a minha família... Sou louca por tudo o que engorda, mesmo que de uns tempos pra cá eu tenha que regular essa loucura. Louca pelo meu curso, que é jornalismo. Agora vejo que estou no caminho certo, graças a Deus. Tem uma pessoa que há praticamente um ano tem me deixado mais louca ainda: meu homem, meu menino, meu companheiro, meu Vinícius!! Mas é uma loucura que me faz bem, me faz sentir amada, desejada... Amo meu doidinho, ou melhor, louquinho! Enfim! Moleca, louca, mulher, alegre, desorientada, chorona, fechada (pra não dizer “seca”), brincalhona, desbocada (aliás, extremamente desbocada), muito família, amiga pra todas as horas (até para acudir amigos bêbados e ser acudida também!)... Acho que essa sou eu! Sempre pronta para crescer e melhorar naquilo que for preciso.

Lilian: Por fim, já que chega de ouvir, nós queremos é dançar e beber, uma mensagem que sela a nossa amizade.

Neto: Ainda há tempo...


Lilian: Mesmo que as dúvidas persistam,


Neto: Que a emoção nos traia e a esperança falte,


Lilian: Mesmo que as palavras fujam.


Neto: Não importa, porque ainda há tempo...


Lilian: Para trocar o silêncio pelo sorriso,


Neto: Os punhos fechados pelos braços abertos,


Lilian: Dispensar a distância e acolher a cumplicidade,


Neto: Pedir perdão e sentir saudades... de tudo, de todos.


Lilian: Porque agora tudo faz falta...


Neto: O abraço que negamos,


Lilian: As risadas que não nos permitimos.


Neto: Mas ainda há tempo...


Lilian e Neto: Porque temos uma vida inteira para continuarmos Amigos...


Discurso proferido por Lilian e por mim no nosso baile de gala, há quase um ano.

Hoje é o primeiro dia do resto das nossas vidas

Lorranne: Boa noite.

Neto: Em nome dos formandos em comunicação social com habilitação em jornalismo pelas faculdades AlFa, cumprimento a todos aqui presentes: familiares, amigos, colegas, professores...

Lorrane: Em nome de todos, cumprimento o diretor superintendente das Faculdades Alves Faria, professor Nelson de Carvalho Filho.

Neto: Cumprimento a coordenadora da habilitação em jornalismo, professora Lídia Gonçalves de Araújo.

Lorrane: O paraninfo, mestre Salvio Juliano Peixoto Farias.

Neto: O patrono Roberto Melo.

Lorrane: Cumprimento a patronesse Cristina de Mattos.

Neto: O padrinho e vereador por Goiânia, Josué Rodrigues de Gouveia.

Lorrane: Cumprimento a madrinha da turma, Marcela Carvalho Baiocchi.

Neto: E, por fim e em especial, cumprimento a mestre a quem a turma homenageia, Raquel Mourão Brasil, exemplo de pessoa e profissional o qual desejamos seguir.


Neto: Boa noite, Fátima!

Lorranne: Boa noite, William!

Lorranne: Hoje é o dia mais feliz da minha vida.

Neto: Hoje é o dia mais feliz da nossa vida.

Lorranne e Neto: Hoje é o dia mais feliz das nossas vidas.

Neto: Porque hoje é o primeiro dia do resto das nossas vidas.

Lorranne: Neto, sabe o que eu me lembrei agora? Quando eu era pequena e uma professora me perguntou o que eu queria ser quando crescer...

Neto: E o que você respondeu a ela?

Lorranne: Eu disse que eu queria ser grande.

Neto: Parece que você não conseguiu, né? Eu falava que eu queria ser igual ao meu pai: capinar, ir pra roça.

Lorranne: É, João, a gente pensa que nunca vai chegar esse “quando eu crescer”... mas hoje, aqui, diante dos nossos pais, dos nossos amigos, mestres e colegas, não tem como negar... chegou o dia que a gente cresceu.

Neto: Chegou, Pequena! E poderíamos ter crescido e virado tanta coisa... biomédico, farmacêutico, historiador, dentista, advogado, jogador de futebol, grande, trabalhador da roça... mas não... crescemos e viramos o quê?

Lorranne: Viramos aquele sujeito que desvenda o mundo! Viramos aquele profissional que procura entender de tudo um pouco. Viramos o cidadão que transmite os acontecimentos e faz cumprir o direito à informação. Viramos o sonhador que tenta transformar utopia em realidade...

Neto: Nos tornamos os responsáveis por interpretar e criticar a sociedade. Abraçamos a missão de fornecer respostas às interrogações que o mundo impõe... Nos tornamos pessoas que têm como responsabilidade defender a liberdade de expressão!

Lorranne: Não foi fácil virar tudo isso...

Neto: Ah, não foi mesmo! Pensar que a dificuldade começou lá no primeiro dia de aula, no pré, ou, pra alguns, o jardim, quando parecia um abismo deixar a mamãe ir embora pelo portão (no meu caso, era porteira).

Lorranne: E quando começou a tal da Matemática? Pensávamos que nunca sairíamos da escola. Mal sabíamos nós que ainda viria a Química, a Física...

Neto: Acho que foi aí que percebemos que o nosso dom não estava nos números, estava nas palavras! Eu adorava voltar de férias só para fazer a redação contando tudo o que aconteceu...

Lorranne: Foi tão difícil virar o que viramos ainda mais se pararmos para lembrar daquela que talvez tenha sido a dificuldade maior até aqui: a escolha do que seríamos quando crescêssemos.

Neto: As professoras, ao elogiarem nossas redações, ajudaram muito. A tia que achava o máximo falar que gostaríamos de ser jornalistas até que estimulava. Mas nada disso era suficiente para dar segurança.

Lorranne: É, mas o coração parece que falou mais alto, né, João? Só pode ter sido o coração porque o bolso é que não foi! O jornalista existente no nosso id – aquele ladinho da personalidade que revela nossos verdadeiros desejos – falou mais alto.

Neto: Nem o superego foi capaz de impedir: decidimos que queríamos ser jornalistas e pronto! Tomada a decisão, começamos o caminho até chegar aqui, no primeiro dia de nossas vidas, que é também o mais feliz...

Lorranne: O sonho da faculdade tornou-se real...

Neto: Real mesmo – na verdade Lorranne, esse real é no plural: foram nove notas de cinqüenta reais para pagar a primeira matrícula.

Lorranne: Mas a gente não liga pra isso não. Esse dinheiro não foi um gasto, foi investimento! Além da incrível bagagem adquirida, descobrimos um mundo por trás do mundo... Um mundo que agora nós mesmos vamos noticiar!

Neto: Mas, na verdade, Lorranne, este mundo não estava atrás do mundo, estava bem à nossa frente. A diferença é que ainda não éramos capazes de enxergá-lo ali... Agora, com a formação de todos esses quarenta e oito meses, somos capazes de enxergá-lo e, acima de tudo, compreendê-lo.

Lorranne: Neto, isso me faz lembrar o banner que estava a nossa espera no primeiro dia de aula. Uma frase de Isaac Newton : “Se enxerguei mais longe é porque estive em ombros de gigantes”. Pensou o mesmo que eu? Esses gigantes foram os mais de trinta mestres que nos conduziram até aqui... até o dia mais feliz de nossas vidas.

Neto: É, Lô, hoje eu não sou mais só o João Camargo Neto. Sou um pouquinho da elegante e sofisticada perspicácia do Salvio somada ao perfeccionismo do Roberto.

Lorranne: Sendo assim, João, sinto que hoje sou um tiquinho do empreendedorismo da Cristina com a sabedoria da professora linda, Raquel Mourão Brasil.

Neto: Tenho certeza que cada um de nós aqui também está levando um pouco da terna dedicação da Lídia e a sagacidade da Marcela.

Lorranne: O fato é que, pouco a pouco, passados esses 1460 dias, a turma, que já era grande, ficou maior ainda. alguns se casaram, outras nos deram de presente as sofias, a giovanna, a Isa...

Neto: e como já dizia he-man, que nos acompanha desde a infância, “nós temos a força”. Vencemos! Celebramos hoje a vitória. Enfim, nós vencemos. Agora podemos dizer àquela professora que crescemos e nos tornamos jornalistas!

Lorranne: Olhando para as conquistas passadas, vamos fortalecer os passos rumo ao futuro. As marcas deixadas não serão esquecidas jamais.

Neto: A partir de hoje, temos a missão de fazer valer uma necessidade prioritária e indelegável da humanidade desde seus tempos mais remotos: comunicar. Caberá a nós, junto aos demais colegas de profissão, não nos restringirmos apenas a informar e opinar. Mais do que isto, nós precisaremos formar e educar. Precisaremos construir pontes sobre o abismo que separa os que sabem dos que nada sabem.

Lorranne: Que o jornalismo social seja o norteador de nossa trajetória sempre, jornalismo este que é feito para ajudar a dona Joaquina, que nasceu em Iporá e mora há 53 anos no Jardim Curitiba, aqui em Goiânia, a entender como a inflação vai interfirir diretamente na vida dela.

Neto: Informar ao Roberto, 28 anos, pedreiro, que ainda cursa a oitava série e pega três ônibus para voltar para casa, sobre os espetáculos culturais que acontecem gratuitamente em nossa cidade também é nossa missão.

Lorranne: Como repórteres, entendamos: somos contadores da História. Sensibilidade, percepção, palavra, lavra...

Neto: No rádio, muito mais importa a nossa competência que a estética da nossa voz. Esta é a nova concepção do jornalismo de qualidade.

Lorranne: Frente à câmera, nossa missão é, tão somente, informar. Aparecer é tarefa para a fonte, para o personagem.

Lorranne e Neto: porque somos jornalistas! Não somos artistas...

Lorrane: numa profissão em que a pauta é infinita, não há limites de conhecimento...

Neto:
O jornalista deve querer saber o suficiente de ciência para entender os cientistas e o suficiente de economia para perceber que a maior parte das ações políticas tem base econômica.

Lorranne: conhecer o suficiente sobre artes e profissões para poder compreender pelo menos o seu vocabulário.

Neto: deve estudar línguas não somente pela utilidade que elas possam ter na execução das tarefas de reportagem, mas também pelo conhecimento incidental de outras culturas e outras literaturas que elas promovem.

Lorranne: Mesmo visualizando dias difíceis pela frente, nós não podemos perder de foco o sonho de um mundo melhor, uma sociedade mais justa, transparente.

Neto: A missão é árdua. Depende do compromisso com a verdade, da submissão aos elevados valores, como já dizia a professora Raquel.

Lorranne: Que prevaleçam em nós, jornalistas ainda virgens, os valores duráveis, imperecíveis. Honestidade, perseverança, coerência e a defesa da democracia!

Neto: Professores do curso de Jornalismo, não abram alas ao desânimo. Vistam a camisa, como sempre fizeram, e invistam todas as horas possíveis, como é a praxe, na formação de jornalistas eticamente comprometidos com a verdade.

Lorrane: Pais e amigos dos novos jornalistas, talvez agora os senhores tenham um vislumbre da nossa urgente necessidade na sociedade brasileira. Portanto, apóiem estes jornalistas. A nossa eficiente luta é a garantia de sobrevivência de vocês num País que respire liberdade.

Neto: jornalistas formandos, saiam daqui com um objetivo em mente. Nós devemos demonstrar ao público que o curso de Jornalismo que ora finalizamos não foi uma ficção, e que nós, agora jornalistas, não brincamos com a realidade durante estes quatro anos.

Lorranne: Lembrem-se que agora o jornalismo se transformou na nossa ferramenta de trabalho. Vamos destacar em nossas vidas a importância do diploma, não só como partícipe da formação profissional ou mero pergaminho a ser pendurado na parede de nossas casas, mas, sobretudo, que este canudo seja um complemento da cidadania a serviço da sociedade.

Neto: Hoje não é nosso primeiro dia como jornalistas, já que jornalista não se forma, se nasce.

Lorranne: A nossa faculdade, na verdade, não terminou em dezembro de 2006 nem tampouco iniciou no começo de 2003.

Neto: A nossa formação como jornalistas deu o pontapé quando o nosso cordão umbilical foi cortado.

Lorranne: E assim, diplomados e sem a pretensão de sermos a notícia, informamos que amanhã também será o primeiro dia do resto das nossas vidas.

Lorrane e Neto: Porque todo dia é o primeiro dia do resto da vida de um jornalista.

Lorrane e Neto: Muito obrigado.

Discurso proferido por Lorranne Tavares e por mim na nossa colação de grau, há quase um ano.

Esperto em chope


A Iris reclama quando eu reclamo de algum garçom ou serviço dos bares que freqüentamos. O que ela ignora, porém, é que estou ficando um esperto em cerveja. Ontem, no Glória, senti o chope aguado. A princípio, poderia ser fruto do dissabor da minha garganta, vitimida por início de gripe, dengue ou sei lá o quê (amanhã a médica deve diagnosticar). Chamei a Su, uma das garçonetes, e apresentei a minha queixa. Óbvio que ela a refutou, mas, cordialmente, disse que falaria com o gerente. Muito tempo sem resposta e fui embora sem saber o motivo. Não estava disposto a criar caso. Na presença da Iris, tenho evitado questionar com alteração qualquer serviço prestado. Beber me dá fome. Saio de lá e paro na pastelaria ao lado para deliciar um pastel de palmito. De repente, chega a Su. Não perdi a oportunidade e quis saber se havia resposta. Tarde, mas havia. "É, realmente. O gerente disse que estava daquele jeito porque era do fundo do barril". Então, tá. Mas que eu tinha razão, tinha.

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

Cine Iris


Iris é nome de cinema pornográfico na Rua da Carioca, no centro histórico do Rio de Janeiro. Nos moldes do goianiense Cine Santa Maria, o "cine poeira", o Cine Iris fica entre sebos e outras atrações tão culturais da parte velha do Rio.

Programa de férias


Nada como caminhar entre Leblon e Ipanema. Não falo da orla, que tem sua atração à parte. As avenidas que cortam os dois bairros são um verdadeiro encanto. Mistura do popular com o luxuoso. Gente de todos os tipos. Risco de tropeçar no Chico Buarque bem como de papear com qualquer outro carioca disposto a sempre exaltar a Cidade Maravilhosa. Ciça Carvello tem razão. Zona Sul é Zona Sul.

Vintenário


Jornalismo Literário


Acabo de ler A milésima segunda noite da avenida Paulista, de Joel Silveira, o víbora - adjetivo (?) dado por Assis Chateaubriand. O livro é, como quase todos os títulos da Companhia da Letras, em especial da coleção Jornalismo Literário, bom. Leitura gostosa. Destaque para os capítulos 1943: Eram assim os grã-finos em São Paulo, A milésima segunda noite da avenida Paulista, Encontro com Chatô, Conversa franca com os bandidos de Lampião e Di Cavalcanti, pintor, poeta e mágico, pouco antes do fim. Enfim, quase todos. Agora volto a ler Chega de Saudade, de Ruy Castro, outra obra da Companhia das Letras.

De Assis Chateaubriand, dono dos Diários Associados, para Joel Silveira, ao pautá-lo para ser Correspondente de Guerra junto à Força Expedicionária Brasileira em meados da década de 1940:


Vá para a guerra, seu Silveira, mas, por favor, não me morra! Não me morra, seu Silveira! Repórter não é para morrer. Repórter é para mandar notícias.

Quem esperava por essa?


Vice-presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE), Tales de Castro Cassiano foi o voto de minerva na última reunião do Partido dos Trabalhadores de Goiânia. No último sábado, as tendências que clamam por candidatura própria tiveram queda de braço com as que pleiteiam aliança eleitoral com o PMDB na capital. Estes conseguiram estender até o dia 9 a discussão. Eram necessários 15 assinaturas para que a procrastinação se desse. De última hora, Tales, que dois dias antes esteve no manifesto pró-candidatura própria, assinou a favor da abertura de discussões em prol da reeleição do prefeito Iris Rezende com o apoio do PT.

Milhões somem em ONG do PT


Os repórteres Rodrigo Rangel e Murilo Ramos, de Época, mostraram como uma ONG dirigida pelo ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares recebeu R$ 4,6 milhões do Incra e ninguém sabe como o dinheiro foi gasto.


Uma ONG ligada ao partido – um de seus fundadores é o ex-tesoureiro Delúbio
Soares (foto) – recebeu R$ 4,6 milhões do governo e não prestou contas. Segundo
o Ministério Público, houve desvio de verbas. O novo escândalo, somado ao do
descontrole dos gastos com o cartão corporativo, mostra como a transparência é
ainda apenas um sonho.

A boa desta noitinha


Hoje é segunda-feira. Sem lei no Glória. Toma dois chopes e paga apenas um. Compensa. Não só pela bebida. O ambiente é muito bem freqüentado. É onde profissionais da comunicação e do direito se encontram no primeiro dia útil da semana.
Pós-escrito aos estreantes: chegar até às 18h30 ou amargar até uma hora na lista de espera por mesa e cadeiras.

Fica na Rua 101, 435, no Setor Sul.

Oração do dia


Senhor, permita-me condição de vida suficiente para ter um plano de saúde, nem que seja Ipasgo, para eu não precisar jamais recorrer novamente à rede pública.

domingo, 17 de fevereiro de 2008

Ah, não, de novo não!


Estou com suspeita de estar com dengue novamente. E, desta vez, hemorrágica. Pintas vermelhas tomaram conta do meu corpo no meio da semana. Em seguida, uma coceira que ainda não foi embora de vez. A sensação é de que o sangue coça. Do couro cabeludo à raiz do pé. Muita indisposição. Garganta seca. Dorzinha de cabeça. Já tive a clássica. Foi muito pior. Heloisa, também com os mesmos sintomas, me conta, porém, que sua avó já foi acometida pela hemorrágica e não ficou tão ruim. Eu tenho pânico de mosquito. Acho que todos são transmissores de doença. Li que a vacina contra dengue só sai em 2010. O transmissor é um dos que propagam a febre amarela, o Aedes aegypti. Há muito tempo tem vacina contra a última, não entendo porque ainda amarram o antídoto para a primeira. Na agonia desse incômodo e rememorando O Jardineiro Fiel, chego a pensar que não é vantajoso - para o governo e para a indústria farmacêutica - prevenir com eficácia a dengue.

Natal é todo dia


Roupa Nova é o meu lado B (Doris me aconselhou a usar apenas a primeira letra da palavra brega para não ficar feio). Os dois acústicos são ótimos. Este texto, porém, é para recomendar o CD de Natal. Sim, estamos em fevereiro! O CD merece ser ouvido a qualquer época do ano. Com chuva, então, fica ainda mais gostoso. Não é à toa que o nome do disco é Natal todo dia.

Bossa nova


Quando quero acalmar meu espírito, ouço Dora Ximenes. Ainda desconhecida no Centro-Sul, ela é baiana e canta bossa nova nos bares de Salvador.

Uma coletânea das melhores pode ser baixada no endereço: http://rapidshare.com/files/50871411/Amor___Bossa_Nova.rar

Doação de sangue também aos finais de semana


Como faço quatro vezes ao ano, ontem acordei cedo, me arrumei e tomei dois ônibus rumo ao Hemocentro. Estava fechado. Eu não sabia, ou me esqueci, que, por ser parte da Secretaria de Estado da Saúde, não abre aos sábados. O que eu acho um absurdo. E aqueles que trabalham a semana toda e só podem doar sangue aos finais de semana? Não é toda empresa que aceita, por mais que seja legal, atestado de doação de sangue. Defendo a abertura do Hemocentro durante os sete dias da semana, inclusive nos feriados.

Convocação


Ajudem um Rhanyer
Sabe aquele pensamento que todos têm de "Isso
nunca vai acontecer comigo"? Pois bem acontece. Bom pessoal meu nome é Rhanyer Paullo tenho 24 anos, e em outubro de 2007 descobri que estava com Leucemia Mielóde Aguda (LMA) tipo M2 para quem quiser ter mais informações, uma mudança radical na vida de repente estou forte e saudável e o outro dia estou no hospital lutando pela minha vida, mas venho aqui por um motivo ainda maior Me ajude a divulgar esta campanha... Esta "campanha" não é só para doações para mim e sim para milhares de pessoas que necessitam de uma doação para poderem seguir as suas vidas, vida esta que você pode ser o responsável em ajudar. Se você pode doar, então doe e ajude a salvar uma vida. Mais informações: www.doemedula.com

Seu Lalá


Bares temáticos são legais. Ontem conheci o Seu Lalá. Fica próximo ao Bougainville, no Setor Marista. O bar é carioca do início ao fim. A entrada é baseada nos arcos da Lapa; concordo com Lorranne que é um dos lugares onde a brasilidade mais efervesce. Na parte descoberta, uma grande tela que não consegui decifrar se é Botafogo, Rodrigo de Freitas ou outro trecho maravilhoso do Rio. Do lado do buffet, um quadro com letras de Lamartine Babo ("Adeus ano velho, feliz Ano Novo", "Uma vez Flamengo, sempre Flamengo"), o Seu Lalá. O banheiro bate a modernidade. No masculino, quatro televisões são usadas como intervenção no mictório.Confesso que evitei urinar no espaço. A entrada é a mesma que dá acesso ao feminino. "Bom que enquanto o homem lava a mão e a mulher se maqueia, eles podem paquerar", sugere Mariana Clímaco. A única pena é que o chope é Nova Schin. Mas se não me contassem, eu nem teria percebido.

sábado, 16 de fevereiro de 2008

AlFa e suas novas unidades


Há colega chateado. "A AlFa esperou que nos formássemos para abrir unidades mais centralizadas". Ah, excetuando o Centro, que não vai oferecer o bacharelado em jornalismo, eu não trocaria o Campus Perimetral pelo Setor Bueno. Primeiro: não acredito que a direção vai instalar na nova unidade a mesma estrutura que criou na Vila João Vaz. Segundo: arrancar os laboratórios da sede que não vai. Espero.

Central de aborrecimento


Depois de um ano formado, a Central de Atendimento da AlFa ainda me persegue. Alguém consegue passar por lá sem se aborrecer? Tem quase a mesma inoperância que serviço de teleatendimento. Com uma diferença: é presencial. Com uma semelhança: geralmente, as informações passadas por telefone diferem do que o atendente diz pessoalmente.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

Quilling é feeling


Para o fim de semana: dê um pulo no Address Hotel, na República do Líbano, e aprecie a exposição de Quilling da Ana Cristina. Comprei alguns dos quase 400 cartões de Natal que ela confeccionou ano passado usando a técnica. Um luxo sutil. Feito de papel, inclusive reaproveitado. Ana é um exemplo. Venceu um câncer, chora ao falar da mãe, cuida de mais de 50 bichos, entre gatos e cachorros, tem três filhas lindas, neto, é professora da rede municipal de ensino de Goiânia, tem um Uno e há algum tempo almoçávamos juntos no Quilograma. Não come arroz nem carne. Seu prato parece uma horta. É descolada. Apesar da mais de meia década de vida, parece uma irmãzona de 17 anos. Reafirmando: eu recomendo.


Exposição de Quilling
Até dia 9, no Address Hotel
Avenida República do Líbano, 2526, Oeste

"Você não me ensinou a te esquecer", cantarola Caetano para Maria


Caetano foi. Maria, em vida, nunca prestigiou um show do baiano. Agora, prestes a ser enterrada, ganha, a quase dois mil quilômetros de Salvador, uma palha do ídolo. A apresentação foi breve. O velório só foi estendido porque o cantor confirmou presença. Ela não queria velório longo. A menos que a causa fosse justa. E foi. Enquanto jogavam torrões de terra vermelha molhada – quem mandou morrer em fevereiro? – sobre a urna, sobe som:

Você Não Me Ensinou A Te Esquecer
Composição: Fernando Mendes / José Wilson / Lucas
Não vejo mais você faz tanto tempoQue vontade que eu sintoDe olhar em seus olhos, ganhar seus abraçosÉ verdade, eu não mintoE nesse desespero em que eu me vejoJá cheguei a tal pontoDe me trocar diversas vezes por vocêSó pra ver se te encontroVocê bem que podia perdoarE só mais uma vez me aceitarPrometo agora vou fazer por onde nunca mais perdê-laAgora, que faço eu da vida sem você?Você não me ensinou a te esquecerVocê só me ensinou a te quererE te querendo eu vou tentando te encontrarVou me perdendoBuscando em outros braços seus abraçosPerdido no vazio de outros passosDo abismo em que você se retirouE me atirou e me deixou aqui sozinhoAgora, que faço eu da vida sem você?Você não me ensinou a te esquecerVocê só me ensinou a te querere te querendo eu vou tentando me encontrarE nesse desepero em que eu me vejojá cheguei a tal pontode me trocar diversas vezes por vocêsó pra ver se te encontroVocê bem que podia perdoarE só mais uma vez me aceitarPrometo agora vou fazer por onde nunca mais perdê-laAgora, que faço eu da vida sem você?Você não me ensinou a te esquecerVocê só me ensinou a te quererE te querendo eu vou tentando te encontrarVou me perdendoBuscando em outros braços seus abraçosPerdido no vazio de outros passosDo abismo em que você se retirouE me atirou e me deixou aqui sozinhoAgora, que faço eu da vida sem você?Você não me ensinou a te esquecerVocê só me ensinou a te querere te querendo eu vou tentando te encontrarVou me perdendoBuscando em outros braços seus abraçosPerdido no vazio de outros passosDo abismo em que você se retirouE me atirou e me deixou aqui sozinhoAgora, que faço eu da vida sem você?Você não me ensinou a te esquecerVocê só me ensinou a te querere te querendo eu vou tentando me encontrar

Caetano canta no sepultamento de Maria


Ao som de Epitáfio, Maria começa a sessão do arrependimento.
Devia ter namorado. Esta é a queixa que sempre permeia a sua vida.
Devia ter se esforçado para ter Unimed.
Carteira assinada.
Devia ter parado de dar desculpas. Ser direta. Sim ou não.
Não devia ter fugido de casa. Ter passado os natais lá. Guardasse o réveillon para se permitir longe do seio familiar.
Devia ter comido menos doce. Menos gordura. Ter bebido menos refrigerante. Não era para ter cortado nada. Apenas diminuído.
Devia ter se depilado diariamente. Ninguém sabe a hora de morrer. “É melhor que a sombra encapuzada e munida de foice nos pegue sem pêlos”.
Devia ter usado talco nos pés. Não quer que ninguém reclame de banhá-la quando o óbito for constatado.
Não devia ter quebrado espelhos. Devia sempre manter um no quarto. Ao lado da janela.
Por falar em janela, devia ter tirado aquele adeviso da rádio que nem ouve mais.
Devia ter sido mais objetiva. Gastar menos tempo.
Devia ter ouvido mais música ao vivo.
Não devia ter medo.
Devia fazer ao menos uma ligação por dia.
Devia ir ao médico ao sinal da primeira coceira suspeita.
Não devia ter matado aranha por matar.
Devia ter lido mais livros e menos blogs.
Devia ter trocado o e-mail por cartas. Emotcons por fotografias.
Não devia ter anunciado sua doença na internet. Devia, isso sim, ter usado da ferramenta para buscar a cura, pedir ajuda.
Devia ter sido sempre otimista. Tão somente.
Devia sorrir sempre. Não devia ter colocado aquele aparelho ortodôntico cinco anos antes de morrer.
Devia ter ido ao menos aos velórios de familiares. Não quer sepultamento vazio. Quer choro. Quer Caetano Veloso na despedida.
Devia ter escovado os dentes quatro vezes ao dia. Ter comprado mais balas de café.
Devia ter emagrecido. Caminhado. Pulado.
Devia ter vacinado contra a febre amarela. O que anula a sua vida é o câncer. Digo, os cânceres.
Não devia ter usado gel no cabelo.
Devia ter jogado no lixo todas as calcinhas furadas.
Devia ter evitado todos os papos furados.
Devia ter enfrentado as cobras cara a cara. Não fraquejar.
Devia conversar mais com a Catarina.
Devia aceitar a todas as propostas de emprego. Ser menos selecionadora.
Devia ter tomado mais banho de piscina. Aproveitado mais a Barra da Tijuca.
Agora, sabe que não dá mais. Até dá. Mas o desânimo, antes usado como desculpa, agora é fato.
Da falta de saúde e idade, antes dadas constantemente como motivos para parecer que já tinha morrido, agora são reais. A idade nem tanto. Mas a saúde ficou para trás ao toque de um formigamento. Maria, agora, só sabe recorrer a Maria. Tomara que as intercessoras não estejam em desuso.